ANÁLISE DA VIABILIDADE TÉCNICA DA UTILIZAÇÃO DO PASSADOR NO PROCESSO DE FIAÇÃO 100% ALGODÃO NO SISTEMA OPEN END.

Wallace Nóbrega Lopo, Edgar Augusto Lanzer

Resumo


Na indústria têxtil encontra-se o processo de fiação que para um bom desempenho requer a definição e controle de alguns parâmetros dos itens que compõe o sistema produtivo, iniciando na escolha da fibra, indicadores de qualidade por meio de análises laboratoriais, passado pela escolha do processo mais adequado à finalidade desejada. Neste artigo se propôs como objetivo principal, o estudo da utilização do passador, no processo de fiação no sistema open end a rotor, se este é viável ou não, no que se refere à qualidade final do produto, em se comparando com as atuais características que o fio possui, já utilizando essa máquina no processo industrial. Retirando-se o passador do processo e produzindo o fio, analisaram-se os resultados dos valores de coeficientes de variação (CV%) do título Ne, massa, pilosidade, resistência e alongamento, torção e coeficiente de atrito, bem como a alteração na quantidade de defeitos como pontos grossos, pontos finos e neps entre os dois fios. Nas análises dos resultados, pode-se verificar a diminuição do CV% em todos os parâmetros e a diminuição da quantidade de defeito, porém, em alguns casos, essa melhoria não foi significativa, a ponto de podermos definir como não necessária a utilização do passador, nesse processo de fiação, dependendo da qualidade que se deseja do produto final.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Mário de; CASTRO, E. M. de Melo e. Manual de Engenharia Têxtil. v1. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. 1987.

CHANTAIGNIER, G. Fio a fio: tecidos, moda e linguagem. São Paulo: Estação das Letras Editora, 2006.

CHEREM, L. F. C. Um modelo para a predição da alteração dimensional em tecidos e malha em algodão. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

DAVENPORT, T. Mission critical: realizing the promise of enterprise systems. Boston: Harvard Business School Press, 2000.

FBET. Análise de algodão. Interpretação dos resultados. Disponível em: http://www.fbet.com.br/. Acesso em: 20 de maio de 2015.

GARCIA, S. J. Tecnologia do passador. Rio de Janeiro: Cetiqt/Senai, 1996

HAMMER, M.; CHAMPY, J. Reengenharia: revolucionando a empresa em função dos clientes, da concorrência e das grandes mudanças da gerência. Rio de janeiro: Campus, 1994.

LOBO, R. N.; LIMEIRA, E. T. N. P.; MARQUES, R. do N. Fundamentos da tecnologia têxtil: da concepção da fibra ao processo de estamparia. São Paulo: Érica, 2014.

NAGEL, C.; ROSEMANN, M. Process engineering. Curso de pós-graduação à distância. Queensland (AU): Queensland University of Technology, 1999.

NETTO, C. Definindo gestão por processos: característica, vantagens, desvantagens. In: LAURINDO. F.: ROTONDARO, R. (Org.) Gestão integrada de processos e da tecnologia de informação. São Paulo: Atlas, 2006.

PAIN, R.; et al. Gestão de Processo: pensar, agir e aprender. Porto Alegre: Bookman, 2009.

PEZZOLO, D. B. Tecidos: histórias, tramas, tipos e usos. São Paulo: Editora SENAC, São Paulo, 2007.

RIBEIRO, L. G. Introdução a Tecnologia Têxtil. v2, Rio de Janeiro, SENAI CETIQT, 1984.

ROSENFELD, H.; et al. Gestão de Desenvolvimento de produtos - uma referencia para a melhoria do processo. São Paulo: Saraiva 2006

SABRÁ, F. Modelagem: Tecnologia em produção de vestuário. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2014.

SMITH, H.; FINGAR, P. Business Process Management: the third wave. Florida: Meghan-Kiffer, 2003.

THIOLLENT, M. Metodologia de pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1998.

YANG, R. H.; WANG, S. Y. A Linear Dynamic Model for Rotor-Spun Composite Yarn Spinning Process. Philadelphia: IOP Science, 2008.

YANG, R. H.; XUE, Y.; WANG, S. Y. A nonlinear dynamic model for a rotor-spun composite yarn spinning process. Glasgow: Ensevier, 2009.

ZARIFIAN, P. Objectif compétence. Paris: Liaisons, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.