REPRESENTAÇÕES SOCIAIS CONSTRUÍDAS POR RAPAZES GAYS SOBRE “MODOS DE VESTIR GAY”

Adair Marques Filho, Ana Lucia Galinkin

Resumo


O presente trabalho buscou levantar as representações sociais sobre os “modos de vestir gay”, expressas por homossexuais assumidos do sexo masculino. Partiu-se da Teoria das Representações Sociais (Moscovici) e da Teoria da Identidade Social (Tajfel), articuladas com as teorias feministas, para a caracterização do campo da moda como lócus das relações de gênero. Foi utilizado para a coleta de dados um questionário de evocação livre de ideias em que as questões giraram em torno dos conceitos de Moda e Aparência, sendo utilizado para a análise dos dados o software Evoc 2003. Participaram da pesquisa 81 (oitenta e um) sujeitos que se autodeclararam gays. Os resultados das análises, partindo-se da abordagem estrutural de Abric, apontam para a existência de representações sociais sobre os modos de vestir gay. Estas representações de parte de uma comunidade são evidenciadas a partir das principais evocações explicitadas pelos respondentes, assim como as justificativas dos segmentos de textos coletados. De fato, a partir dos achados, pode-se concluir que a moda faz gênero. Essas relações estabelecidas fazem surgir representações (autorrepresentação) de parte da comunidade gay como fortemente vinculada à moda, que se vestem de maneira estilosa e propõem novos olhares sobre o masculino, no intuito de superar a dicotomia homossexual e heterossexual.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRIC, J-C. Práticas sociales y representaciones. In: ABRIC, J-C. (Dir.). Filosofía y Cultura Contemporánea. México: Ediciones Coyoacán, S.A, 2001.

ANDRADE, F. A. de e BARBOSA, S. C. Influência da música ambiente sobre o comportamento de clientes e funcionárias de uma loja de varejo de moda feminina. Psicologia IESB, 2009, vol. 1, Nº 1, 11-20, 2009.

BARNARD, M. Moda é Comunicação. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.

BARROS, L. T. Representações Sociais da Homossexualidade no Ambiente de Trabalho: Um Estudo da Zona Muda. Dissertação do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações. UnB, 2015.

BAUMAN, Z. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 2008.

COX, J. & DITTMAR, H. The functions of clothes and clothing (dis)satisfaction: A gender analysis among British students. Journal of Consumer Policy, june, v. 18, issue 2-3, p. 237-265, 1995.

ECO, U. “Social Life is a Sign System”. In: ROBEY, D. (org.). Structuralism. London: Jonathan Cape Ltd, 1982.

GALINKIN, A. L., SEIDL, E. M.F., BARBOSA, B. T. e MAGALHÃES, R. F. Representações Sociais acerca da AIDS e percepção de risco entre estudantes universitários. Tempus – Actas de Saúde Coletiva, v.6, n.3 (51-66), 2012.

GOELLNER, S. V. A produção Cultural do Corpo. In: LOURO, G. L.; FELIPE, J.; GOELLNER, S. V. (Orgs.). Corpo, Gênero e Sexualidade – um debate contemporâneo na educação. Petrópolis: Vozes, p. 28-40, 2003.

GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar: como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. Rio de Janeiro: Record, 2001.

HERCHCOVITH, A. Cartas a um jovem estilista: a moda como profissão. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

JODELET, D. Représentations sociales: un domaine en expansion. In: JODELET, D. (Ed.). Les représentations sociales. Paris: PUF, p. 31-61, 1989.

MACHADO, L. B. e ANICETO, R. A. Núcleo central e periferia das representações sociais de ciclos de aprendizagem entre professores. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, vol. 18, n. 67, p. 345-364, abr./jun, 2010.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

MOURÃO, T. M. F., & GALINKIN, A. L. Equipes gerenciadas por mulheres: Representações sociais sobre gerenciamento feminino. Revista Psicologia: Reflexão e Crítica, 21 (1), 91 – 99, 2008.

NASCIMENTO-SCHULZE, C. M.; CAMARGO, B. V. Psicologia social, representações sociais e métodos. Temas de psicologia. Ribeirão Preto, 8 (3), 287-299, 2000.

RIBEIRO, A. S. N., & ALMEIDA, A. M. O. Os homossexuais e a busca por visibilidade social. In: Anais da III Jornada Internacional e I Conferência Brasileira sobre Representações Sociais (pp. 184). Rio de Janeiro, RJ: Editora da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, 2003.

SCARDUA, A e SOUZA FILHO, E, A. O debate sobre a homossexualidade mediado por representações sociais: perspectivas homossexuais e heterossexuais. Psicologia: Reflexão e Crítica, 19(3), p. 482-490, 2006.

TECHIO, E. M. e LIMA, M. E. O. (2011). (Org.). Cultura e Produção das Diferenças: estereótipos e Preconceito no Brasil, Espanha e Portugal. Brasília: Technopolitik, p. 21-75.

VERGÉS, P. Conjunto de programas que permitem a análise de evocações. EVOC, Manual, versão 5 de abril. Aix en Provence (s.n.), 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.